Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
 
Notícias
 
Notícia - 19/03/2015 - Domésticas terão 5 meses de seguro-desemprego
19/03/2015 - Domésticas terão 5 meses de seguro-desemprego

Deputados mudam projeto e garantem valor maior para empregados do lar demitidos sem justa causa
A Câmara dos Deputados finalizou na noite de terça-feira (17) a votação do projeto que regulamenta a PEC das Domésticas. O texto original, que já tinha passado pelo Senado, foi modificado e, por isso, terá de voltar para nova análise dos senadores.
A principal alteração aconteceu no seguro-desemprego, garantindo assim a todas as domésticas demitidas sem justa os mesmos direitos de qualquer trabalhador. Antes, o benefício era limitado de três parcelas no valor máximo de um salário mínimo (R$ 788).
Agora, os empregados do lar vão poder receber até cinco parcelas do benefício e o valor é calculado de acordo com o salário do funcionário. Hoje o teto do seguro-desemprego é de R$ 1.385,91.
A emenda foi articulada pela deputada Benedita da Silva (PT-RJ) a contragosto do Palácio do Planalto. Não há garantia que ela passe na nova votação no Senado. Em último caso, a presidente Dilma Rousseff pode vetar a emenda sob a justificativa de que não há dinheiro para arcar com esse gasto extra.
Outra mudança, também capitaneada pela parlamentar petista, mantém a multa de 40% sobre o saldo do FGTS nas demissões sem justa causa e prevê o pagamento da multa no ato do desligamento do empregado. O relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) previa o pagamento antecipado, com percentual de 3,2% do salário, junto com o recolhimento mensal do FGTS (de 8%).
O governo conseguiu ao menos manter em 12% a contribuição dos empregadores para a Previdência Social. Na semana passada, o Palácio do Planalto recuou do acordo feito com o Senado e apoiou o relatório de Benedita. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), porém, disse ontem no fim da votação que há acordo para que a proposta de Jucá, que reduz essa contribuição para 8%, seja retomada.
“O pessoal decidiu enaltecer a Benedita, mas o Senado já pediu para devolver e vão votar o texto original”, avisou Cunha sem qualquer cerimônia.
O FGTS e outros direitos trabalhistas estendidos aos domésticos pela PEC só entram em vigor quando a regulamentação for aprovada.

Fonte: Diário SP Online
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
Sub Sede - Campinas:
Rua Visconde do Rio Branco, 301 - Ed Liberdade
5º Andar - Conj 501 - Sala 02
Centro - Campinas/SP

Telefone:
(19) 3232-0956
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados