Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
 
Notícias
 
Notícia - 09/05/2015 - Projeto que regulamenta lei dos domésticos deve ser sancionado
09/05/2015 - Projeto que regulamenta lei dos domésticos deve ser sancionado

A partir de agora, patrão e empregado precisam botar no papel as regras que vão valer durante toda a viagem, respeitando a jornada diária de 8 horas.


Nos próximos dias, a presidente Dilma deve sancionar o projeto que regulamenta os direitos dos empregados domésticos. Ele cria a necessidade de ter contrato e folha de ponto, inclusive para situações especiais, como viagens.
Valquíria está pronta para mais uma viagem com a família. Há dois anos ela cuida da Laura e da Valentina.
A partir de agora, patrão e empregado precisam botar no papel as regras que vão valer durante toda a viagem, respeitando, é claro, a jornada diária de oito horas. E a lei estabelece que essas horas trabalhadas fora de casa são mais caras: 25% a mais.
Waléria faz questão de seguir a lei.
“A gente vai ter que tirar um pouco do nosso tempo para poder organizar a folha de ponto, contrato de trabalho, organizar banco de horas. Mas eu acho que isso é uma coisa inicial. Daqui a pouco a gente acostuma e o que é direito, é direito. O que é lei é o que é lei”, afirma a médica Waléria Lobo.
Valquíria já assina o ponto todos os dias. Vai ter que fazer isso também nas viagens. Com a regulamentação da lei dos domésticos, passa a ser obrigatório o registro escrito dos horários de trabalho. Vale folha de ponto ou qualquer outra maneira de documentar a jornada.
A folha pode ser dessas compradas em papelaria ou feita em casa mesmo, desde que tenha espaço para registrar data, hora de entrada e saída, intervalo de almoço e horas extras. O trabalho no período da noite também precisa ser anotado. O empregado que trabalhar entre 22h e 5h terá direito a receber adicional noturno. É a hora trabalhada mais 20%.
A professora de Direito do Trabalho reafirma a importância de deixar bem claras as regras que vão funcionar dentro de casa.
“É claro que a celebração por escrito, ela passa a ser uma medida de controle, uma medida de prevenção para as partes, empregador e empregado trabalhista. É necessário que seja feito um registro, já que o empregado doméstico passa a ter uma jornada de trabalho controlada nos moldes constitucionais”, explica Gabriela Neves Delgado, professora Faculdade de Direito/UNB.
O secretário de Inspeção do Trabalho disse que os novos direitos trazem mais segurança para os trabalhadores domésticos.
“Essa é uma legislação que equipara direitos, valoriza o trabalhador doméstico como um trabalhador. Uma pessoa que tem os mesmos direitos que qualquer trabalhador tem. E com isso ele passa a ser mais valorizado e respeitado pelos empregadores”, diz o secretário de Inspeção do Ministério do Trabalho, Paulo Sérgio de Almeida.

Fonte: Jornal Nacional
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
Sub Sede - Campinas:
Rua Visconde do Rio Branco, 301 - Ed Liberdade
5º Andar - Conj 501 - Sala 02
Centro - Campinas/SP

Telefone:
(19) 3232-0956
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados