Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Circular de Reajuste

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
Notícias
 
Notícia - 12/07/2015 - Diarista que trabalha em residências de forma descontínua não se enquadra como empregada doméstica
12/07/2015 - Diarista que trabalha em residências de forma descontínua não se enquadra como empregada doméstica

A diarista que presta serviços em uma residência de forma descontínua não está enquadrada como empregada doméstica, nos termos da Lei 5.589/72, mas é, de fato, uma trabalhadora autônoma. É que, nesses casos, não há os requisitos da continuidade na prestação de serviços e da subordinação, indispensáveis à caracterização do vínculo de emprego, inclusive daquele de natureza doméstica. Assim, uma faxineira que presta seus serviços em períodos descontínuos numa residência familiar não terá vínculo empregatício e nem os mesmos direitos do empregado doméstico.

Essa foi a situação encontrada pela 9ª Turma do TRT de Minas ao negar provimento ao recurso de uma diarista e confirmar a sentença que negou o vínculo de emprego que ela pretendia ter reconhecido na ação. A reclamante disse que trabalhou como empregada doméstica em uma residência por mais de dez anos, lá comparecendo por 3 vezes na semana. Na versão da reclamada, os serviços foram prestados de uma a duas vezes por semana, na condição de diarista.

E o juiz convocado Jessé Cláudio Franco de Alencar, relator do recurso, deu razão à ré. Ao examinar a prova testemunhal, ele constatou que o trabalho da reclamante na residência ocorria de forma descontínua e irregular. Conforme observou, nem mesmo o trabalho por 3 dias na semana foi comprovado, já que a testemunha ouvida a pedido da reclamante afirmou que ambas eram diaristas e que se encontravam apenas de vez em quando na casa da reclamada. Ela também disse que havia semanas em que via a reclamante os 3 dias, mas em outras nem a via. Assim, para o julgador, não existiu o requisito da continuidade, imprescindível à caracterização do vínculo de emprego doméstico.

"O artigo 1º da Lei 5.859/72 considera doméstico quem presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas, destacou o julgador. É necessário, portanto, que o trabalho executado seja seguido, não sofrendo interrupções. A diarista que trabalha nas residências, de forma descontínua, como no caso da reclamante, não pode ser enquadrada como empregada doméstica", destacou o relator.

Para reforçar seu entendimento, o julgador citou a Súmula 19 do TRT da 1ª Região: "TRABALHADOR DOMÉSTICO. DIARISTA. PRESTAÇÃO LABORAL DESCONTÍNUA. INEXISTÊNCIA DE VÍNCULO EMPREGATÍCIO. A prestação laboral doméstica realizada até três vezes por semana não enseja configuração do vínculo empregatício, por ausente o requisito da continuidade previsto no art. 1º da Lei 5.859/72". Apoiou-se, ainda, em uma decisão do TST, em recurso de revista, que considerou que "a prestação de serviços em residência durante três ou quatro vezes por semana, porque não contínua, é insuficiente para configurar relação de emprego doméstico, nos moldes preconizados na Lei nº 5.859/72" (RR -2300-89.2002.5.01.0040 Rel. Ministro: Luiz Philippe Vieira de Mello Filho, 1ª Turma, DEJT 18/06/2010).

Por fim, o relator ponderou que, embora a exclusividade não seja decisiva no caso (porque não é requisito da relação de emprego), a reclamante, se assim quisesse e necessitasse, poderia prestar seus serviços para outras pessoas. O trabalho na casa da ré não era impedimento a isso, justamente pela descontinuidade, liberdade e disponibilidade que conferia à trabalhadora. Sob esses fundamentos, o relator manteve a sentença que não reconheceu o vínculo, no que foi acompanhado pelos demais julgadores da Turma.

PJe: 0010600-43.2014.5.03.0176-RO, Publicação: 02/06/2015

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho - 3ª Região
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
Sub Sede - Campinas:
Rua Visconde do Rio Branco, 301 - Ed Liberdade
5º Andar - Conj 501 - Sala 02
Centro - Campinas/SP

Telefone:
(19) 3232-0956
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados