Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
 
Notícias
 
Notícia - 30/09/2015- Tira-dúvidas: tudo sobre as mudanças nos direitos dos empregados domésticos
30/09/2015- Tira-dúvidas: tudo sobre as mudanças nos direitos dos empregados domésticos

Os encargos referentes ao próximo mês deverão ser pagos em 6 de novembro, por meio de um portal do governo

Correio Braziliense
Publicação: 28/09/2015 21:41 Atualização:
As famílias que empregam os serviços de um trabalhador doméstico devem ficar atentas. A partir desta quinta-feira (1º/10), passa a ser obrigatório o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), do auxílio acidentes, do Fundo Compensatório – para dispensa do trabalhador sem justa causa –, do Imposto de Renda, do adicional noturno e do salário-família, para empregados que recebam menos de R$ 1,1 mil e tenham filhos de até 14 anos.

Os encargos referentes ao próximo mês deverão ser pagos em 6 de novembro, por meio do site eSocial. No portal, já está disponível a consulta a dados cadastrais, como o Número de Identificação Social (NIS) e o Cadastro de Pessoa Física (CPF) do trabalhador. O novo regime de tributação deve ser quitado pelo Simples Doméstico, que vai reunir em uma só guia todas as contribuições devidas pelo empregador e empregado, além do salário-família.

O governo ainda não disponibilizou no www.esocial.gov.br a ferramenta, que vai exigir ajustes e aprendizado por parte das famílias. Embora não tenha a informação precisa da data de liberação do Simples Doméstico, a Receita Federal comunicou que o serviço deve estar disponível a partir de outubro.

Fique atento
As regras do trabalho doméstico mudaram. Entenda quais são as novas obrigações do empregador

Mudanças
A partir de 1º de outubro, o empregador deverá incluir quatro novas contribuições no contrato de trabalho doméstico. Confira:

1) FGTS
2) Seguro contra acidentes
3) Fundo compensatório para demissão sem justa causa
4) Imposto de Renda*
(*) Somente para salários acima de R$ 1.903,98

Alíquotas
A alíquota de contribuição ao INSS também vai mudar, dos atuais 12% para 8%. Veja como fica:
Encargos e tributos Alíquota (em %)
FGTS 8
Seguro contra acidentes 0,8
Fundo compensatório 3,2
INSS 8
Imposto de Renda 7,5

Além disso, o trabalhador passa a ter direito ao salário família e adicional noturno. Os novos pagamentos serão feitos pelo chamado Simples Doméstico, que tem seu primeiro vencimento em 6 de novembro de 2015.

Simples Doméstico
O que é: Guia única, onde o empregador doméstico vai efetuar todos os pagamentos referentes ao empregado, de uma só vez

Como acessar: Pode ser acessado pelo portal eSocial
No site, o empregador vai preencher dados próprios e referentes ao empregado, como CPF e número de inscrição na Previdência Social.

- Segundo a Receita Federal, a ferramenta que vai calcular os valores devidos será disponibilizada em outubro. O Fisco, no entanto, não comunicou o dia que o dispositivo entra em vigor.

*Salário-família também está valendo:
A partir de 1º de outubro de 2015, tem direito ao salário-família o empregado/a doméstico com filhos menores de 14 anos e remuneração até R$ 1.089,82

Valor do benefício:
*Salário até R$ 725,02: R$ 37,18 por dependente
*Salário de R$ 725,03 até R$ 1.089,82: R$ 26,20 por dependente
*O salário-família é pago no contracheque e descontado no simples doméstico

Como ficam os novos valores
Veja simulação com um salário de R$ 1 mil
Encargos e tributos Valor (em R$)
FGTS 80
Fundo compensatório 32
Seguro contra acidente 8
INSS do empregador 80
Contribuição do empregado 80
Salário família 26,20
Total a pagar: R$ 253,80

Direitos do trabalhador doméstico:
- Seguro-desemprego: Desde 28 de agosto, pode requerer o benefício a(o) trabalhadora (o) doméstica (o) que tenha prestado serviços por pelo menos 15 meses nos últimos dois anos, com direito a três parcelas no valor de um salário mínimo cada.
- Salário Mínimo: R$ 788.
- Recolhimento do INSS: Alíquota de 8% para o empregador, e 8%, 9% ou 11% para o empregado. A partir de 1º de outubro, a alíquota do empregador cai de 12% para 8%.
- Jornada de trabalho: 44 horas semanais, sendo oito horas de segunda a sexta-feira e quatro horas aos sábados.
- Intervalo para refeição e/ou descanso: De 30 minutos, 1 hora ou 2 horas, conforme combinado entre as partes.
- Quando a doméstica reside no local de trabalho: Pode ser feito duas vezes ao dia, com pausas de até quatro horas, sendo o intervalo mínimo de uma hora e o máximo de duas horas ao longo do dia.
- Adicional noturno: Acréscimo de 20% sobre o valor da hora trabalhada entre 22h e 5h
- Hora extra: O valor da hora é calculado utilizando o valor do salário bruto mensal dividido pelo número de horas mensais (220 horas). O resultado será o valor correspondente a uma hora normal, que deverá ser acrescido de 50% sobre o montante. Em domingos e feriados, o valor deve ser dobrado.
- Banco de horas: As primeiras 40 horas extras devem ser pagas pelo empregador. O restante pode ser compensado com folgas, a critério do empregador.
- Feriados civis e religiosos: Quando trabalhar, o empregado deve receber o dia em dobro ou ter uma folga compensatória.
- Gravidez com estabilidade: A empregada doméstica tem direito à estabilidade provisória no emprego desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. Em caso de demissão, o empregador deverá indenizar, em dinheiro, todo o período da estabilidade ainda não transcorrido.
- Licença-maternidade: Tem duração de 120 dias, pago pela Previdência Social diretamente à empregada doméstica.
- Aviso-prévio: A comunicação da dispensa deve ser feita com antecedência mínima de 30 dias.
- Férias: Direito a 30 dias por ano com pagamento de um terço a mais que o salário acordado.
- 13º salário: A gratificação deve ser paga em duas parcelas. A primeira, entre os meses de fevereiro e novembro, no valor correspondente à metade do salário do mês anterior, e a segunda, até o dia 20 de dezembro, no valor da remuneração de dezembro, descontado o adiantamento feito.
- Vale-transporte: Pode ser descontado o percentual de 6% do salário-base.

Deveres do trabalhador doméstico
1) Apresentar, no momento da admissão: Carteira de Trabalho e Previdência Social;
2) Apresentar atestado de boa conduta; e atestado de saúde, a critério do empregador
3) Executar os trabalhos para os quais foi contratado;
4) Não faltar;
5) Ser pontual;
6) Assinar o livro de ponto
7) Assinar recibos de pagamento;
8) Avisar com 30 dias de antecedência sua saída do emprego;
9) Manter o sigilo e a privacidade da família do empregador;
10) Tratar empregador e demais familiares com respeito e educação.

Documentos que não podem faltar
Na contração:
Carteira de trabalho
Contrato assinado pelo empregador e empregado
Livro de ponto para controle das horas extras

Na demissão:
Aviso-prévio
Termo de rescisão do contrato de trabalho
Carteira de trabalho com anotação do encerramento do vínculo empregatício

Raio X
6,4 milhões de empregados domésticos trabalham no Brasil
2 milhões são diaristas
1,7 milhão tem a carteira assinada
Entre os formais, 400 mil empregadores não estão recolhendo o INSS
O Distrito Federal tem menor taxa de informalidade do país
As regiões Norte e Nordeste concentram o maior número de informais

Fontes: Instituto Doméstica Legal; iDoméstica; Livro PEC das Domésticas, novos direitos e deveres de patrões e empregados
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
Sub Sede - Campinas:
Rua Visconde do Rio Branco, 301 - Ed Liberdade
5º Andar - Conj 501 - Sala 02
Centro - Campinas/SP

Telefone:
(19) 3232-0956
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados