Documento sem título
     
 
 
 
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Benefícios

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
Notícias
 
NotŪcia - Saiba como funciona o aux√≠lio-doen√ßa da empregada dom√©stica
Saiba como funciona o auxílio-doença da empregada doméstica

Somente o trabalhador temporariamente incapaz de desempenhar suas atividades tem direito ao benefício

O auxílio-doença é um benefício, concedido aos segurados do INSS, por doença ou acidente de trabalho. Isso só é válido se o empregado estiver temporariamente incapaz para desenvolver as suas atividades.

Existem duas categorias de auxílio-doença: o previdenciário (que se refere aos casos em que o empregado adoeceu fora do trabalho) e o acidentário (quando o empregado se acidenta no trabalho ou à caminho). O auxílio-doença previdenciário não garante estabilidade. Dessa forma, o empregado pode ser demitido quando retornar às atividades. Já o auxílio-doença acidentário assegura estabilidade ao trabalhador, com 12 meses sem demissão, quando voltar à ativa.

No período em que o empregado ficar afastado e receber o benefício, seu contrato de trabalho estará suspenso. Isso significa que o empregador não pode realizar qualquer alteração no contrato até que seu funcionário retorne as atividades usuais.

Quem paga pelo benefício: o empregador ou a Previdência Social?

De acordo com o Decreto 3.048/ artigo 72, a Previdência Social já deve pagar o auxílio-doença aos empregados domésticos a partir do primeiro dia de afastamento. Assim, o patrão não precisa pagar, por conta própria, a primeira quinzena.

Para que o empregado possa receber o benefício previdenciário, deve ter contribuído por, pelo menos, 12 meses. No entanto, essa exigência não é válida para os casos em que o trabalhador tiver sofrido um acidente no trabalho ou tiver desenvolvido uma doença causada por sua atividade.

13¬ļ sal√°rio

O 13¬ļ sal√°rio deve ser pago tanto pelo empregador quanto pela Previd√™ncia. O valor relativo ao per√≠odo em que o trabalhador estiver afastado ser√° pago pela Previd√™ncia Social. J√° os meses em que o empregado esteve normalmente na ativa ser√° pago pelo empregador.

Férias

Se o afastamento do empregado durar mais de seis meses no mesmo período aquisitivo, não necessariamente consecutivos, não terá direito à férias. Iniciando, assim, um novo período aquisitivo a partir da data de retorno ao trabalho.

FGTS

O depósito do Fundo de Garantia só é obrigatório para os casos de acidente de trabalho.

Salário-Família

O Salário-família correspondente ao mês de afastamento do trabalho será pago integralmente pelo empregador, pelo sindicato ou órgão gestor de mão de obra, conforme o caso. E o do mês da cessação de benefício pelo INSS.

Licença Maternidade

A empregada doméstica terá o auxílio-doença suspenso enquanto perdurar o salário-maternidade. O benefício por incapacidade deve ser restabelecido a contar do primeiro dia seguinte ao término do período de 120 dias, caso a data de cessação de benefício tenha sido fixada em data posterior a este período.

Caso precise solicitar o aux√≠lio-doen√ßa, tenha em m√£os o atestado m√©dico e agende a per√≠cia com a Previd√™ncia Social atrav√©s do n√ļmero 135. A incapacidade para o trabalho s√≥ √© comprovada por meio de exame realizado pela per√≠cia m√©dica do INSS.

FONTE: Doméstica Legal
 
 
Documento sem título
Endereço:
Av. Casper Líbero, 383, 2° andar, sala 2d
Centro - São Paulo/SP (Próx. a Estação da Luz)
CEP: 01033-001
 
Telefone:
(11) 3228-1390
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados