Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
 
Notícias
 
NotŪcia - 11/08/2017 - Reforma: MPT expede recomenda√ß√£o para sindicatos n√£o reduzirem direitos trabalhistas em negocia√ß√Ķes coletivas
11/08/2017 - Reforma: MPT expede recomenda√ß√£o para sindicatos n√£o reduzirem direitos trabalhistas em negocia√ß√Ķes coletivas

O Minist√©rio P√ļblico do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) expediu Notifica√ß√Ķes Recomendat√≥rias a cinco federa√ß√Ķes e 33 sindicatos profissionais do estado para evitar a negocia√ß√£o de cl√°usulas menos ben√©ficas aos empregados. O objetivo do MPT √© antecipar-se √† entrada em vigor da Reforma Trabalhista, aprovada em 14 de julho, e aos preju√≠zos que um de seus principais pontos, a preval√™ncia do negociado sobre o legislado, poder√° acarretar na vida dos trabalhadores, ao permitir que a entidades celebrem acordos ou conven√ß√Ķes coletivas precarizantes, que reduzam direitos e ofere√ßam menos prote√ß√£o em rela√ß√£o √†s garantias hoje estabelecidas em lei.

Passam a ser negoci√°veis, com as altera√ß√Ķes trazidas pela Lei n¬ļ 13.467/2017, normas ligadas diretamente √† sa√ļde e seguran√ßa do trabalho, com possibilidade de diminui√ß√£o de intervalo para descanso e alimenta√ß√£o, enquadramento do grau da insalubridade a patamar inferior ao definido pelo Minist√©rio do Trabalho, flexibiliza√ß√£o do registro de ponto, e prorroga√ß√£o de jornada em ambientes insalubres, sem licen√ßa pr√©via das autoridades competentes.

Para o MPT, a Reforma Trabalhista cont√©m diversos dispositivos que contrariam a Constitui√ß√£o Federal e que s√£o incompat√≠veis com as Conven√ß√Ķes Internacionais da Organiza√ß√£o Internacional do Trabalho (OIT), da Organiza√ß√£o dos Estados Americanos (OEA) e da Organiza√ß√£o das Na√ß√Ķes Unidas (ONU). Desta forma, a expedi√ß√£o de recomenda√ß√£o aos sindicatos de categorias profissionais poder√° prevenir irregularidades.

O MPT pontua que h√° in√ļmeros Termos de Ajuste de Conduta (TACs) e decis√Ķes judiciais favor√°veis em face de empresas que empregam os trabalhadores representados pelos sindicatos notificados. Esses TACs ou a√ß√Ķes civis p√ļblicas cont√™m obriga√ß√Ķes de fazer e n√£o fazer que poder√£o vir a ser descumpridas, sob o equivocado pretexto de que houve autoriza√ß√£o por conven√ß√Ķes ou acordos coletivos futuramente celebrados.

"A inten√ß√£o √© evitar que o sindicato, com a Reforma Trabalhista, firme cl√°usula diminuindo intervalo intrajornada, permitindo prorroga√ß√£o de jornada em local insalubre e outras cl√°usulas que est√£o sendo permitidas com a Reforma Trabalhista, mas que j√° est√£o vedadas em Termos de Ajuste de Conduta ou a√ß√Ķes civis p√ļblicas".

O MPT adverte às entidades que a celebração de instrumentos de negociação coletiva contrários à Notificação Recomendatória poderá acarretar a adoção de medidas judiciais contra o sindicato laboral, além de pedido de condenação dos responsáveis ao pagamento indenização por danos morais coletivos.

Os sindicatos e federa√ß√Ķes dever√£o informar, no prazo de at√© 20 dias, a data-base da categoria, o n√ļmero de registro no Minist√©rio do Trabalho dos instrumentos coletivos vigentes, e a inten√ß√£o de observar, ou n√£o, a recomenda√ß√£o expedida pelo MPT.

No entendimento do MPT, se os sindicatos n√£o se comprometerem a isso, os trabalhadores representados devem ter ci√™ncia desse posicionamento. "√Č preciso mostrar a contradi√ß√£o. Por que um empregado vai se filiar a um sindicato que est√° piorando a situa√ß√£o dele? Agora que a contribui√ß√£o sindical vai depender de autoriza√ß√£o pr√©via do empregado, √© ainda mais necess√°ria a ampla divulga√ß√£o das decis√Ķes tomadas pelo sindicato".

Inconstitucionalidade

A reforma entrar√° em vigor em novembro de 2017. Segundo MPT e institui√ß√Ķes que atuam na defesa dos direitos sociais, a mudan√ßa representar√° um enorme retrocesso social. Ao reduzir o patamar m√≠nimo civilizat√≥rio - n√£o considerando como normas de sa√ļde e seguran√ßa do trabalho as regras sobre dura√ß√£o do trabalho e sobre intervalos, e permitindo que esses temas sejam, de maneira indiscriminada, objeto de negocia√ß√£o coletiva -, a Lei n¬ļ 13.467/2017 deixar√° trabalhadores expostos a mais riscos.

A nova lei possibilita, por exemplo, a redu√ß√£o do intervalo destinado ao repouso e √† alimenta√ß√£o no curso da jornada de trabalho (intrajornada) de uma hora para 30 minutos, sem qualquer exig√™ncia para tanto, nem a garantia de serem proporcionadas ao trabalhador condi√ß√Ķes diferenciadas, como refeit√≥rios.

Nesse ponto, o MPT aponta uma redução injustificada de um período que deveria ser destinado à recomposição das energias do trabalhador para dar continuidade às suas tarefas na segunda metade da sua jornada. Dessa forma, também se eleva a exposição a danos físicos e biológicos, especialmente em um contexto no qual será admitido o elastecimento da jornada de trabalho para até 12 horas por dia.

Ao autorizar a celebra√ß√£o de conven√ß√Ķes e acordos coletivos de trabalho incompat√≠veis com a prote√ß√£o legal m√≠nima atualmente existente, esses instrumentos de negocia√ß√£o s√£o pass√≠veis de nulidade ou de anula√ß√£o, inclusive mediante a declara√ß√£o incidente de inconstitucionalidade de dispositivos da Lei n¬ļ 13.467/2017.

O MPT esclarece que as conven√ß√Ķes e os acordos coletivos de trabalho j√° possuem for√ßa de lei no Brasil, desde que o negociado seja mais favor√°vel que o legislado, ou seja, desde que estejam previstas situa√ß√Ķes mais ben√©ficas aos trabalhadores do que o disposto na legisla√ß√£o, que melhorem a condi√ß√£o social de determinada categoria.

"Dado que o ordenamento brasileiro j√° prev√™, incontroversamente, a preval√™ncia do negociado sobre a lei sempre que a negocia√ß√£o significar a cria√ß√£o de novo benef√≠cio ou a amplia√ß√£o de benef√≠cio j√° previsto em lei, conclui-se que o √ļnico prop√≥sito do PL 6.787/2016 [Lei n¬ļ 13.467/2017] √© permitir a exclus√£o de direitos trabalhistas pela via negocial. De fato, h√° de se concluir que a exclusiva raz√£o de ser da proposta √© garantir que se possa reduzir direitos dos trabalhadores atrav√©s de acordos e conven√ß√Ķes. Se a inten√ß√£o com o PL fosse beneficiar os trabalhadores com novos direitos e melhores condi√ß√Ķes de trabalho, a proposta seria completamente desnecess√°ria", ressaltou o MPT em Nota T√©cnica divulgada em janeiro deste ano, antes da aprova√ß√£o das mudan√ßas.

Relação de entidades notificadas pelo MPT:

- FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO DO ESTADO DE MT

- FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA DO ESTADO DE MATO GROSSO (FETIEMT)

- FEDERA√á√ÉO DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTE RODOVI√ĀRIO DO ESTADO DE MATO GROSSO (FETTREMAT)

- FEDERA√á√ÉO DOS EMPREGADOS DOS GRUPOS DO COM√ČRCIO DO ESTADO DE MATO GROSSO (FECMT)

- FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA DE MATO GROSSO (FETAGRI-MT)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS IND√öSTRIAS DE ALIMENTA√á√ÉO NOS MUNIC√ćPIOS DE V√ĀRZEA GRANDE E CUIAB√Ā (SINTIA)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS IND√öSTRIAS DE ALIMENTA√á√ÉO DO √ĀLCOOL E REFINA√á√ÉO DE A√á√öCAR E AFINS NOS MUNIC√ćPIOS DE C√ĀCERES E REGI√ÉO MT (SINTIAAL)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS IND√öSTRIAS DE ALIMENTA√á√ÉO FRIGOR√ćFICAS, DE √ĀLCOOL E DE REFINA√á√ÉO DE A√á√öCAR NOS MUNIC√ćPIOS DE TANGAR√Ā DA SERRA E REGI√ÉO (SINTIAAL)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS IND√öSTRIAS E COOPERATIVAS DE CARNES E DERIVADOS DE CARNES E DERIVADOS DE RA√á√ēES BALANCEADAS E DA ALIMENTA√á√ÉO DE NOVA MUTUM/MT (SINTRATUM)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS IND√öSTRIAS EXTRATIVAS DO ESTADO DE MATO GROSSO (STIEMT)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO PESADA E AFINS DO ESTADO DE MATO GROSSO (SINTECOMP)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NA IND√öSTRIA DA CONSTRU√á√ÉO CIVIL DE CUIAB√Ā E MUNIC√ćPIOS (SINTRAICCCM)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NA IND√öSTRIA DA CONSTRU√á√ÉO CIVIL E DO MOBILI√ĀRIO DE C√ĀCERES

- SINDICATO DOS TRABALHADORES EM ATIVIDADES DE SEGURAN√áA, VIGIL√āNCIA, TRANSPORTE DE VALORES E INVESTIGA√á√ēES DE CUIAB√Ā E REGI√ÉO DE MATO GROSSO (SINEMPREVS-MT)

- SINDICATO DOS EMPREGADOS DE EMPRESAS TERCEIRIZADAS, DE ASSEIO, CONSERVAÇÃO E LOCAÇÃO DE MÃO DE OBRA DE MT (SEEAC)

- SINDICATO DOS MOTORISTAS PROFISSIONAIS E TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TRANSPORTES TERRESTRES DE CUIAB√Ā E REGI√ÉO

- SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE TRANSPORTES RODOVI√ĀRIOS DE TANGAR√Ā DA SERRA E REGI√ÉO (SINTROTAS)

- SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COM√ČRCIO DE CUIAB√Ā (SECC)

- SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COM√ČRGIO EM GERAL DE TANGAR√Ā DA SERRA E REGI√ÉO (SECGTS)

- SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COM√ČRCIO DE BARES, RESTAURANTES, PIZZARIAS, CHURRASCARIAS, LANCHONETES, BOATES E SIMILARES DE MT (SINDECOMBARES)

- SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COM√ČRCIO HOTELEIRO E SIMILARES E EMPREGADOS EM CONDOM√ćNIOS COMERCIAIS E RESIDENCIAIS DE CUIAB√Ā-MT (SEMPHOSCOND/SEMPHOSTUR)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NO COM√ČRCIO DE MIN√ČRIOS E DERIVADOS DE PETR√ďLEO DE MT (SINTRADEPE-MT)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NA MOVIMENTA√á√ÉO DE MERCADORIAS EM GERAL DE CUIAB√Ā (SINTRAMM)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES NA MOVIMENTA√á√ÉO DE MERCADORIAS EM GERAL DE V√ĀRZEA GRANDE (SINTRAMVG)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE CUIAB√Ā/MT (STR)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE C√ĀCERES/MT (STTR)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ARAPUTANGA (STTRA)

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE DIAMANTINO

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE MIRASSOL D’OESTE

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE NOVA MUTUM

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE PONTES E LACERDA

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE S√ÉO JOS√Č DOS QUATRO MARCOS

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE SAPEZAL

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE SANTO ANT√ĒNIO DO LEVERGER

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE S√ÉO JOS√Č DO RIO CLARO

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE TANGAR√Ā DA SERRA

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE V√ĀRZEA GRANDE

- SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE VILA BELA DA SANT√ćSSIMA TRINDADE



PROMO n¬ļ 001031.2017.23.000/4

Informa√ß√Ķes: Minist√©rio P√ļblico do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT)

Fonte:http://www.prt23.mpt.mp.br
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
Sub Sede - Campinas:
Rua Visconde do Rio Branco, 301 - Ed Liberdade
5º Andar - Conj 501 - Sala 02
Centro - Campinas/SP

Telefone:
(19) 3232-0956
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados