Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Circular de Reajuste

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
Notícias
 
Notícia - 30/08/2013 - A Federação esteve presente em uma audiência com o presidente do TST
30/08/2013 - A Federação esteve presente em uma audiência com o presidente do TST

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Carlos Alberto Reis de Paula, recebeu nesta quarta-feira (28) a visita de representantes da Federação das Domésticas do Estado de São Paulo. Elas vieram apresentar a primeira convenção coletiva dos empregados domésticos do estado e manifestar sua posição em relação à lei complementar que trata do empregado doméstico e regulamenta a Emenda Constitucional nº 72/2013.

Segundo a convenção, assinada em julho deste ano, o piso salarial passaria a ser de R$ 755,00, que corresponde ao piso regional de São Paulo. A jornada acompanharia a legislação existente: 44 horas semanais e 220 horas mensais, já computados os descansos semanais remunerados. Cidades da região do ABC e a capital paulista ficariam de fora do acordo.

Camila Ferrari, assistente jurídica da federação, explicou que o objetivo do encontro foi trazer ao conhecimento do ministro a existência da convenção e ouvir opiniões e sugestões sobre o documento, que poderá ainda sofrer alterações. Segundo Camila Ferrari, a EC 72, resultado da aprovação da PEC das Domésticas, e o PL que visa regulamentá-la precisam ser discutidos. Como exemplo, a Assistente Jurídica destacou a exclusão da contribuição sindical dos trabalhadores domésticos.

Para Camila Ferrari, a convenção pode ajudar trabalhadores e advogados nas dúvidas em relação à emenda. "Nossa intenção não é gerar conflito e mais processo judicial, e sim buscar soluções para a categoria", disse.

Entre as cláusulas da convenção, o direito dos trabalhadores domésticos que dormem no lugar do trabalho apresenta algumas peculiaridades. O profissional doméstico teria piso salarial diferenciado no valor de R$ 1.200, podendo chegar até R$ 5 mil para governantas. O documento também estabelece níveis diferenciados de remuneração para babás: se a profissional cuida de apenas uma criança, o piso seria de R$ 1.600; de duas ou mais, subiria para R$ 2 mil.

Reis de Paula considerou importante o debate acerca do tema envolvendo o segmento e da necessidade de regulamentação dessa relação. "O próprio TST acompanhou e deu sugestões ao Congresso no processo legislativo da elaboração da lei complementar e continuará acompanhando", destacou.

Em junho, a federação entrou com pedido de audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça do Senado para discutir pontos da PEC das Domésticas. A previsão é que o encontro ocorra em setembro.

Confira as fotos


Ministro Carlos Alberto Reis, e as representantes da Federação, Camila Ferrari,
Eliana Gomes Menezes e Fabíola Ferrari.



Advogada Fabíola Ferrari, Ministro Carlos Alberto Reis, Representante
da Federação, Eliana Gomes Menezes e Assistente Jurídico, Camila Ferrari.



Ministro Carlos Alberto Reis e a Presidente do Sindoméstica SP, Eliana Gomes.


Ministro Carlos Alberto Reis e a Assistente Jurídica Camila Ferrari.
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados