Documento sem título
 
 
         
 
Documento sem título
FEDERAÇÃO
Funções
Missão
Base Territorial
Editais
Notícias
Informativos
Federação em Ação

Sindicatos Filiados

Convenções Coletivas

Circular de Reajuste

Benefícios

Parceiros

Dúvidas

Serviços Úteis

Disque Denúncia

Contato
 
 
 
Notícias
 
NotŪcia - 06/11/2017 - POR QUE ASSINAR CARTEIRA DE TRABALHO DOS EMPREGADOS DOM√ČSTICOS?
06/11/2017 - POR QUE ASSINAR CARTEIRA DE TRABALHO DOS EMPREGADOS DOM√ČSTICOS?

Muitos empregadores dom√©sticos n√£o sabem sobre a import√Ęncia da assinatura da carteira de trabalho e previd√™ncia social (CTPS) dos seus empregados e acabam descumprindo esse dever legal.

Os motivos para essa omissão podem ser vários: desconhecimento das leis trabalhistas, a pedido do próprio trabalhador ou mesmo procrastinação. Porém, isso pode prejudicar os direitos ao trabalhador e causar problemas na relação de emprego.


Neste post explicaremos por que assinar carteira de trabalho é tão importante, o que esse ato garante a ambas as partes, e quais as consequências no caso da não anotação do contrato de trabalho. Confira!

Respeitar a legislação trabalhista

A anota√ß√£o do contrato de trabalho na CTPS n√£o √© uma faculdade do empregador dom√©stico. Ele tem a obriga√ß√£o legal de faz√™-lo. Isso √© determinado pelo artigo 9¬ļ da Lei Complementar n.¬ļ 150 de 2015, que regula o emprego dom√©stico no pa√≠s.

Conforme esse dispositivo de lei, o trabalhador, mediante recibo, deve apresentar a carteira ao patrão, que terá o prazo de 48 horas para nela anotar o contrato de trabalho e devolvê-la.

Portanto, o empregador que não registrar o seu empregado doméstico estará privando-o de direitos trabalhistas. Essa atitude pode acarretar vários problemas, tanto com a fiscalização por parte do Ministério do Trabalho quanto às garantias a que o seu empregado tem direito.

O que deve ser anotado na carteira de trabalho

A anota√ß√£o deve conter as informa√ß√Ķes pessoais do empregador dom√©stico, a data de admiss√£o do empregado, a remunera√ß√£o pactuada e, quando for o caso, o contrato de experi√™ncia ou por tempo determinado.

Al√©m disso, durante o contrato de trabalho, devem ser anotadas as f√©rias, altera√ß√Ķes do sal√°rio, as licen√ßas, os recolhimentos de INSS e FGTS, o 13¬ļ sal√°rio, as altera√ß√Ķes que vierem a ocorrer e tamb√©m a rescis√£o, quando houver.

O que n√£o deve ser anotado na carteira de trabalho

Em respeito √† legisla√ß√£o trabalhista, h√° algumas informa√ß√Ķes que n√£o devem constar na carteira de trabalho do empregado, como anota√ß√Ķes falsas ou que o desabonem. Assim, n√£o podem constar na CTPS: o motivo da rescis√£o contratual, atestados m√©dicos, faltas ou mesmo anotar o motivo de uma demiss√£o por justa causa.

Fazer constar qualquer tipo de informação desabonadora sobre o empregado em sua carteira pode gerar ação judicial por dano moral que, geralmente, termina em condenação para o patrão.

Por outro lado, a n√£o anota√ß√£o na CTPS do contrato de trabalho ‚ÄĒ ainda que solicitado pelo pr√≥prio empregado, que assim estar√° apto a receber o seguro-desemprego ‚ÄĒ, pode ser considerado fraude e crime de estelionato, trazendo consequ√™ncias para as duas partes.

Evitar a aplicação de multas

Ao deixar de anotar a CTPS do empregado, o empregador estará sujeito ao pagamento de multa ao Ministério do Trabalho. Isso foi recentemente alterado pela reforma trabalhista, que modificou o artigo 47 da Consolidação das Leis do Trabalho.

Agora, aquele que mantiver o empregado não registrado pagará multa de R$ 3.000,00 para cada empregado não registrado, e, em caso de reincidência, a multa será acrescida de igual valor.

Ainda, se alguma informa√ß√£o importante for omitida na anota√ß√£o da CTPS, como o sal√°rio, data de admiss√£o, f√©rias e outros direitos relativos √† prote√ß√£o do trabalhador, o empregador poder√° pagar uma multa de R$ 600,00 para cada empregado que for prejudicado pelas omiss√Ķes.

Prevenir contra problemas judiciais

Caso o empregado, após sair do emprego, ingresse com uma reclamatória trabalhista, o empregador que deixou de assinar a CTPS deverá pagar todos os direitos decorrentes da omissão e que não foram concedidos na vigência da relação empregatícia.

Isso diz respeito às garantias trabalhistas, como férias e acréscimo legal, horas extras, adicionais etc., e também aos direitos previdenciários, como o recolhimento da contribuição. Se o empregador deixar de recolher esses valores para a Previdência, depois poderá ser condenado a responder sozinho por essas despesas.

Al√©m disso, isso √© considerado crime de falsidade documental contra a previd√™ncia, previsto no artigo 297, par√°grafo 4¬ļ do C√≥digo Penal, e a pena para quem comete esse crime √© de reclus√£o de 2 a 6 anos e multa.

Portanto, √© imprescind√≠vel que o empregador veja a import√Ęncia de assinar carteira de trabalho do empregado dom√©stico, e aja dentro da lei, tamb√©m para garantir direitos e evitar problemas na justi√ßa.

Fonte: Doméstica Contábil
 
 
Documento sem título
Sede - São Paulo
Av. Casper Líbero, 383, 13° andar, sl 13c
Centro - São Paulo/SP
(Próx. a Estação da Luz)

Telefone:
(11) 3228-1390
 
2014 Copyright © Todos os direitos reservados